Futebol Cards: Valdomiro se tornou uma lenda na história do Internacional



Existem jogadores que transcendem a categoria de ídolo num clube, transformam-se em lendas. É o caso de Valdomiro, do Internacional, personagem do #tbt Futebol Cards desta quinta.

.

Ele chegou ao Inter em 1968, vindo de Criciúma. De cara, não caiu nas graças da torcida. Era um jogador tido apenas como esforçado. As críticas não o abateram. Serviram de combustível. Treinou bastante, evoluiu nos fundamentos técnicos e desenvolveu a compreensão tática.

.

Além de veloz e agressivo, o ponta foi se tornando cada vez mais especialista nos cruzamentos, que encontravam com precisão milimétrica a cabeça dos companheiros na área, assim como nas finalizações ao gol, especialmente nas cobranças de falta. Era incansável em campo, logo virou um símbolo da raça colorada.

.

O crescimento do futebol de Valdomiro coincidiu com a formação de um time icônico do Internacional e ele caiu melhor do que uma luva. Tornou-se decacampeão gaúcho e tri brasileiro.

.

Foi dele o cruzamento na cabeça de Figueiroa que deu o título de 1975, contra o Cruzeiro. No ano seguinte, marcou o segundo contra o Corinthians, numa linda cobrança de falta, que garantiu o bi. Continuou sendo protagonista na campanha invicta que fez do Internacional tricampeão nacional.

.

Teve uma passagem pelo Milionários, da Colômbia. Ficou em Bogotá por pouco tempo. Em 1982, retornou ao Beira Rio para encerrar a carreira, não sem antes levantar a sua décima taça gaúcha. Segundo site oficial do clube, foram 803 partidas pelo Colorado. Recorde absoluto.

.

Vestiu a camisa da Seleção brasileira em 23 partidas, cinco delas como titular na Copa do Mundo da Alemanha, inclusive marcando o gol contra o Zaire que classificou o Brasil para a segunda fase do mundial. No total, balançou as redes inimigas cinco vezes.